Baiano com cabeça virada para trás relembra momentos da vida e conta sobre como tem vivido o isolamento social

Claudio Vieira de Oliveira é morador de Monte Santo, sertão da Bahia, e tem hoje com 44 anos.

Claudio cumpre isolamento social — Foto: Arquivo Pessoal

Ele tem as pernas atrofiadas, os braços colados no peitoral e a cabeça virada para trás, sustentada pelas costas. Claudio Vieira de Oliveira, morador de Monte Santo, sertão da Bahia, hoje com 44 anos, conta como tem sido a rotina em tempos de pandemia.

Claudinho, como é carinhosamente chamado pelos amigos, tem a doença Artrogripose Múltipla Congênita (AMC). O baiano, que no dia do nascimento ouviu do médico que teria no máximo 24 horas de vida, relata que atualmente está em uma situação atípica, já que as limitações físicas nunca o impediu de fazer as coisas que ele quis.

“Eu nunca tive [dificuldades], minha vida é normal. Eu estou na quarentena acirradamente, porque esse Covid é muito agressivo, ele é letal, então a gente tem medo. Deus me livre dessa maldita doença”, disse Claudinho.

“O cuidado é mais que redobrado, mantendo o isolamento há mais de um ano e só saio para resolver algo que só eu possa fazer, por exemplo: banco, recadastramento”.

Claudio Vieira de Oliveira convive há 44 anos com doença rara — Foto: Arquivo Pessoal

O baiano conta que começou a se acostumar com a forma física aos sete anos, quando deixou de andar de forma rastejante para transitar de joelhos, como acontece até hoje. Claudio aprendeu a ler e escrever em casa, depois de pedir à mãe.

Apesar de ter a cabeça para baixo, ele garante que consegue enxergar tudo normal e que não tem dificuldade em comer, beber ou respirar.

Agora, Claudio já lançou um DVD e uma autobiografia. Em 2000, passou a dar depoimentos em igrejas, a convite de amigos, e tomou o gosto para fazer palestras motivacionais.

Cláudio Oliveira faz palestras sobre superação; veja trecho

Cláudio Oliveira faz palestras sobre superação; veja trecho

Por causa da pandemia, as palestras, que contam a história de vida dele e fatos de superação, precisaram ser suspensas. Em entrevista ao G1, ele lembra com carinho dos momentos e diz que planeja a volta em abril, a depender do número de infectados.

“Morrendo de saudades. Tenho uma palestra pré-agendada na cidade de Bezerra, em Pernambuco, no dia 28 de abril. Se a pandemia aliviar, a gente vai fazer com restrições”, revelou.

O curioso caso de Claudio

Claudio Vieira de Oliveira convive há 44 anos com doença rara — Foto: Arquivo Pessoal

Anos antes, Claudio conheceu outra grande personalidade. O maior ídolo do Flamengo, Zico.

Claudinho estava na casa da irmã, que mora no Rio de Janeiro, quando foi convidado pelo cunhado para ir no Jogo dos Artistas, no Maracanã, em 2009. No estádio, ele contou que começou a “circular na arquibancada” até que encontrou o filho do galinho.

“Eu encontrei o filho do Zico. Eu falei para ele que queria conhecer os jogadores, inclusive o pai dele. Aí ele pediu paciência e disse que permitiria eu ficar no banco de reservas”.

Sentado no lugar onde fica os jogadores reservas, Claudinho conheceu artistas e jogadores como Edmundo e Ronaldinho Gaúcho. E, por um momento, achou que não fosse conhecer Zico.

“Eu achei que eu ia conhecer ele no início da partida ou no intervalo. O jogo acabou, todo mundo foi embora, não apareceu ninguém, aí eu chamei meu cunhado para ir embora. Ninguém deu atenção, não ia ficar no Maracanã escurecendo”, disse.

“O segurança falou: ‘Ei, você não pode sair agora. Eu tenho ordens para você não sair’. Eu tomei um susto, mas com pouco minutos o Zico chegou”.

Mais de 10 anos depois, ele ainda recorda detalhes da emoção que sentiu. “Ele conversou comigo, me deu a camisa que ele usou no jogo de presente. Eu estava nervoso, lembro que ele vestiu a camisa em mim e assinou”.

Baiano nasceu com a cabeça virada para trás. — Foto: Arquivo Pessoal
Baiano nasceu com a cabeça virada para trás. — Foto: Arquivo Pessoal

Fonte: G1

Next Post

PF deflagra operação para investigar oferta fraudulenta de vacinas ao Ministério da Saúde

Qui Mar 25 , 2021
Um grupo suspeito de oferecer fraudulentamente 200 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19 para o Ministério da Saúde está na mira da Polícia Federal (PF). A corporação cumpre, na manhã desta quinta-feira (25), sete mandados de busca e apreensão contra os suspeitos no âmbito da operação batizada de “Taipan”. O objetivo é apurar os […]