Mês Violeta: “Hormonização e construção da identidade trans” é tema de ação voltada para comunidade transgênero promovida pela Prefeitura de Alagoinhas

Foto: Roberto Fonseca

Entre os dias 15 de outubro e 15 de novembro é celebrado o Mês Violeta, em atenção à visibilidade e acolhimento de Saúde da comunidade transgênero. Como parte desta campanha, a Prefeitura de Alagoinhas, por meio das secretarias de Assistência Social (SEMAS) e Saúde (SESAU), realizou, nesta sexta-feira (12), uma atividade, no auditório da SESAU, com o tema “Hormonização e construção a identidade trans”, da qual participaram profissionais de Saúde.

Foto: Roberto Fonseca

De acordo com a Coordenadora de Diversidade Social da SEMAS Luciana Santos Mendes, mulher trans, o objetivo da ação foi empoderar a comunidade Trans, ressaltar a questão do atendimento humanitário preconizado pelo SUS e garantir políticas sociais voltadas à Saúde deste público. “Por anos, a população trans foi estigmatizada, ligada às DST’s, HIV e outras doenças relacionadas. Essa ação foi histórica, diria que, um divisor de águas, no sentido de acessibilizar um grupo, muitas vezes, excluído e vulnerabilizado, até os dias de hoje”.

Foto: Roberto Fonseca

“Para mim é motivo de orgulho e muita alegria iniciarmos, a partir de hoje, esse movimento enquanto Prefeitura de Alagoinhas, abraçando a causa da política pública de Saúde voltada à causa da população LGBTQIA+”, disse a Secretária de Saúde Laína Passos. O diretor de Direitos Humanos e Combate ao Racismo Estrutural da SEMAS, Anderson Xará, também prestigiou o evento.

Renata Fortaleza, que fez um momento de vivência e atendimento médico com as pessoas trans, mencionou que “tem hoje, na cidade, um movimento importante acontecendo e reverberando nos quatro cantos da cidade, que não pode ser, de jeito nenhum, esquecido. Essa população existe e é detentora de direitos, então precisamos reconhecer e respeitá-la, antes de qualquer coisa”

Foto: Roberto Fonseca

Jackson dos Santos Régis, homem trans, declarou que a atividade foi de fundamental importância para a categoria. “É necessário dar mais visibilidade à questão da Saúde para nós, pessoas trans daqui da cidade de Alagoinhas, e para quem é da região, pela dificuldade de acesso à informação sobre o assunto. É fundamental não só para mim, mas para toda a sociedade”.

Fotos: Roberto Fonseca

Fonte: SECOM/Alagoinhas

Next Post

Anvisa recebe pedido da Pfizer para vacinar crianças de 5 a 11 anos

Sex Nov 12 , 2021
A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) recebeu nesta sexta-feira (12) o pedido da Pfizer para permitir o uso da vacina contra a Covid em crianças de 5 a 11 anos. Em nota, a agência informou que irá avaliar o pedido em até 30 dias. “A análise técnica feita pela Anvisa será feita de forma rigorosa […]